O que é melhor no triathlon: treinar com um único profissional ou com uma equipe?

Muitos atletas que iniciam na modalidade têm dúvidas se é mais adequado ser orientado por um único treinador ou por uma equipe multidisciplinar

triathlon
Foto: Getty Images

Após a inclusão do triathlon nas olimpíadas de Sydney 2000 e do crescimento exponencial das provas de longa distância (Ironman e Challenge Family) o mundo vem presenciando uma massificação na prática desse esporte, que ganha cada vez mais adeptos, praticantes e entusiastas. Mesmo não sendo um esporte tão democrático quanto seu primo-irmão – a corrida – nadar, pedalar, correr e cruzar um pórtico de chegada tem se tornado objeto de desejo de homens, mulheres e adolescentes das mais diversas faixas etárias. Não há como negar, entretanto, que treinar triathlon exige um pouco mais de disciplina e de dedicação do que outros esportes. Além disso, pelo fato de ter características de desafio, de superação, e aliado a uma beleza plástica, os triatletas, principalmente os amadores, lançam mão dos mais diversos recursos para melhorarem o desempenho e alcançarem, se possível, os lugares mais altos do pódio ou se classificarem para os campeonatos mundiais.

Materiais e equipamentos altamente tecnológicos, suplementos nutricionais milagrosos, métodos de treinamento revolucionários, vale tudo quando o atleta quer chegar lá. E dentro desse pacote de recursos encontra-se (e não poderia deixar de faltar) a figura do treinador. Salvo as devidas proporções, o que acontece no triathlon é muito similar ao que vemos no futebol. Ao final de uma temporada ou de um ciclo de competições, principalmente se o atleta não conseguiu atingir seu objetivo, começa a “dança das cadeiras” dos treinadores e das assessorias esportivas.

 

A grande questão: como escolher a melhor orientação para o triathlon?

Nesse momento surgem as dúvidas: Devo continuar com o meu treinador? Devo ter um treinador para cada modalidade (natação, ciclismo, corrida, treinamento de força)? Devo optar por uma equipe multidisciplinar contando também com nutricionista, fisioterapeuta, médico e um psicólogo? Considerando que cada indivíduo é único, com demandas, dificuldades, potencialidades e pensamentos diferentes, qualquer uma das três opções será válida. O que fará o trabalho dar certo (ou não) está diretamente relacionado à algumas premissas que devem ser seguidas, tanto pelo atleta como pelos profissionais envolvidos, para que os resultados sejam alcançados, para que haja êxito.

No caso do atleta optar por um único treinador, primeiramente deve haver empatia entre ambos. Outro ponto importante é o atleta se identificar com a filosofia de trabalho desse treinador. E é claro, essa relação, para que seja promissora e frutífera deve ser pautada em confiança e comprometimento mútuos, muita comunicação, disciplina e respeito acima de tudo. Tem tudo para dar certo! No caso de dois ou mais treinadores, todos os quesitos já citados continuam valendo. Contudo, teremos que acrescentar mais dois itens: os treinadores devem ter a mesma filosofia de trabalho, devem falar “a mesma língua”. Além disso, a comunicação entre eles e entre eles e o atleta deve ser constante, frequente e efetiva. Somente desse forma todos irão “remar” na mesma direção e na mesma intensidade.

E se por último o atleta preferir ter um time de profissionais cuidando da sua preparação (equipe multidisciplinar) espera-se que a qualidade do trabalho possa ser melhor, haja vista que cada pessoa desse time é extremamente especialista numa determinada área. Mas, novamente, para que isso realmente aconteça e os resultados sejam alcançados com eficiência e eficácia, a confiança, o comprometimento, a comunicação, a disciplina e o respeito devem estar sempre presentes nessa equipe multidisciplinar.

Diante disso podemos dizer com toda convicção que “VALE TUDO”! Um treinador, vários treinadores ou uma equipe multidisciplinar. E como tudo na vida, têm os prós e os contras. O que pode ser bom para um atleta pode não ser bom para outro, o que funcionou até um dado momento, poderá não ser útil numa outra ocasião ou situação. Portanto, não tenha medo de escolher e experimentar. E se for o caso, não tenha medo de mudar. O que vale é estar junto de profissionais competentes, praticando o esporte que ama, e atingindo seus objetivos de forma saudável e prazerosa.

Bons treinos e até a próxima!

Os comentários estão desativados.

Recomendadas para você