Detox de smartphone: saiba como reduzir o uso do celular

Em um mundo onde reina o smartphone, é preciso ter cuidado para não passar o dia em frente aos aparelhos. Veja como evitar esse vício

Reduza o uso do celular
Foto: Shutterstock

Em um mundo cada vez mais tecnológico, onde os smartphones oferecem as mais diversas funções, não é difícil acabar usando o aparelho a todo momento e para praticamente tudo. São inúmeras as opções: comunicação instantânea, redes sociais, música, jogos e até mesmo aplicativos funcionais, que auxiliam em tarefas do cotidiano. Mas o uso sem controle, a todo instante, pode causar dependência e transformar-se uma ação automática, prejudicando a rotina e outras atividades do indivíduo.

 

VEJA TAMBÉM:

Da caminhada à corrida: como correr 5 km

4 passos para emagrecer sem sofrimento

 

 Como identificar o vício 

Reduza o uso do celular

O uso excessivo do celular pode atrapalhar a rotina e atividades simples/Foto: Shutterstock

O psicólogo clínico Breno Rosostolato alerta que existem sintomas e comportamentos que podem denunciar uma preocupação excessiva com o aparelho, como a perda de controle dos próprios horários, a não realização de tarefas simples, nunca deixar a bateria acabar e sempre carregar o celular nas mãos. “Deve-se observar a frequência, a repetição do uso do smartphone quase como um ritual, ou seja, a pessoa está condicionada a ligar e usar o celular para começar bem o dia, para se acalmar ou como única forma de se divertir. A repetição deste comportamento transforma-se em um movimento automático, concretizando e sedimentando o estado de dependência”, afirma.

 

Consequências do uso constante do smartphone


Em casos mais acentuados, o vício pode até mesmo provocar alterações de humor, respiração, taquicardia, ansiedade e nervosismo. Segundo Breno, algumas correntes psicológicas acreditam que o uso indiscriminado do celular pode estar ligado à síndrome do pânico, já que muitas vezes o usuário não consegue sair de casa sem o aparelho. “A pessoa convence-se de que o celular é imprescindível e indispensável para se sentir segura. Estes são os nomofóbicos, ou seja, pessoas que ficam angustiadas quando se sentem impossibilitadas de se comunicar sem a presença do celular. Este quadro sugere algum transtorno do pânico ou ansiedade, ou seja, o aparelho seria uma espécie de válvula de escape para a angústia e o conflito do indivíduo”, explica.
Os smartphones devem ser aliados da agilidade e o uso indiscriminado pode proporcionar o resultado inverso: um comportamento enraizado que confunde, atrapalha e pode isolar o indivíduo socialmente.

 

Confira algumas dicas para reduzir o uso do smartphone

Reduza o uso do celular

Foto: Shutterstock

– Abandone o uso do celular quando estiver em um bar ou na balada. Procure se divertir e interagir com os outros. Seja radical: celular não pode afastá-lo das pessoas.

– No trabalho, coloque o aparelho na gaveta e evite o máximo que puder.

– Busque atividades que possam te tranquilizar e que promovam concentração e a sensação de bem estar como o yoga e acupuntura. A psicoterapia também pode ser uma aliada: além de fazer muito bem para nos conhecer, ajuda muito a diminuir o vício.

– Não dispense atrações culturais como teatro e cinema e, se conseguir, tente não levar o celular algumas vezes.

– Desabilite as notificações ou deixe o aparelho desligado por algumas horas .

Os comentários estão desativados.

Recomendadas para você