Connect with us

O que você está procurando?

Busca

Saúde

Falciforme: exercício leve pode ser aliado no combate da doença

Paralelamente, há outras indicações para quem vive com essa doença

Dia Mundial de Conscientização sobre a Doença Falciforme
Dia Mundial de Conscientização sobre a Doença Falciforme - Shutterstock

19 de junho é o Dia Mundial de Conscientização sobre a Doença Falciforme e foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) com intuito de aumentar o conhecimento dessa doença genética, hereditária e responsável por mudanças no sangue. Embora seja uma doença crônica, dois hematologistas destacam o exercício físico leve.

O papel do exercício físico leve no Dia Mundial de Conscientização sobre a Doença Falciforme

“O exercício físico leve e moderado pode ser benéfico para pacientes, que não possuam complicações crônicas graves decorrentes da doença falciforme. Entre os benefícios, estão a melhora na capacidade muscular de troca de oxigênio e a diminuição dos níveis de lactato sanguíneo. Isto se traduz em melhor tolerância aos exercícios e melhor aproveitamento no trabalho”, respondeu com exclusividade ao Sport Life o hematologista do Hospital Geral de Itapevi, gerenciado pelo CEJAM (Centro de Estudos e Pesquisas Dr. João Amorim), Dr. João Bosco de Almeida Neto.

Na sequência, o doutor João Bosco pontuou que a intensidade e frequência dos exercícios é individualizada para cada paciente durante o atendimento com um hematologista. Ainda assim, existem algumas ponderações feitas pelo profissional.

“Devemos lembrar que agudamente a prática de exercícios aumenta a acidez do sangue, o que pode desencadear a polimerização da HbS e a formação de hemácias em foice. Logo, exercícios leves e de curta duração como caminhadas de 20 a 40 minutos três a quatro vezes na semana tendem a ser melhor tolerados no início.

Portanto, Neto destacou que os exercícios intensos, e, principalmente, os anaeróbios são descartados para quem é portador da anemia falciforme justamente pela acidose láctica decorrente deles, o que vai causar a formação das hemácias em foice.

Quais são os demais impactos e recomendações do exercício físico para uma pessoa com anemia falciforme?

“O exercício físico é uma ferramenta muito importante, que ajuda na reabilitação dos pacientes porque auxilia na reposição da capacidade funcional e no melhor funcionamento do sistema cardiopulmonar. Além de tudo, estimula um contato social, muito bom pela parte psicológica do paciente e, também, estimula a autonomia”, garantiu a hematologista do Hospital Israelita Albert Einstein Dra. Lucila Nassif em diálogo com a reportagem do Sport Life.

Lucila ainda sugeriu que um paciente com falciforme beba muita água durante e depois do treino, que mantenha uma temperatura corporal não muito elevada e que interrompa um exercício no momento em que estiver com fraqueza, falta de ar, dor e cólica.

“Que ele crie um ambiente adequado e aprecie durante a realização do exercício físico. Se sentir qualquer alteração, tem que procurar um médico imediatamente”, completou a profissional.

“Os pacientes com anemia falciforme podem fazer exercícios físicos regularmente desde que com acompanhamento pelo seu médico hematologista. Evitando exposição ao frio e estando bem agasalhados para evitar a crise de falcização”, advertiu a hematologista do Hospital Santa Catarina – Paulista Dra. Karin Massaro.

A melhora de um paciente acontece por quanto tempo após a rotina de treinamento?

“Se bem aplicada e com o devido acompanhamento do médico hematologista de perto, os pacientes notam melhora em sua qualidade de vida após seis a oito semanas de rotina de treinamento”, disse Almeida.

Os tratamentos e renúncias cabíveis para um portador dessa doença

João Bosco mencionou a hidroxiureia como principal medicação utilizada para o tratamento de pacientes com doença falciforme. “Tem a capacidade de aumentar a produção de outro tipo de hemoglobina chamada hemoglobina fetal ou HbF e melhora a distribuição de oxigênio pelos tecidos. Além disso, transfusões periódicas de concentrados de hemácias são indicadas para pacientes mais graves que já tiveram AVC hemorrágico”, finalizou o médico.

A bebida alcóolica e cigarro não podem pertencer à vida de quem lida com essa anemia. “Bebidas alcoólicas ainda mais em excesso porque podem levar a um grau de desidratação. Pedimos muito para os pacientes evitarem o uso de cigarro. Isso pode comprometer o pulmão e em alguns casos causar a síndrome torácica aguda. O que é uma complicação relacionada à doença falciforme, que nós tentamos evitar ao máximo”, concluiu a Dra. Lucila Nassif.

“O paciente com anemia falciforme não deve tomar banhos de mar e piscina gelados, beber líquidos gelados, ou seja, evitar a exposição ao frio. Deve também evitar grandes altitudes e voo em cabine despressurizada. Também deve evitar contato com pessoas com doenças contagiosas”, terminou a Dra. Karin Massaro.

Dados

Existe um arquivo do Ministério da Saúde com a estimativa da existência de 60 mil pessoas no país com a doença falciforme. Já a pesquisa do IBOPE (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística) acusou no ano de 2020, que 47% dos brasileiros desconhecem essa doença hereditária.

Escrito por

Advertisement

Últimas Noticias

Nutrição

O equilíbrio ajuda a manter esse tipo de alimento na dieta balanceada

Nutrição

São alimentos que precisam ser consumidos com moderação

Nutrição

Ambas bebidas podem oferecer alto teor de açúcar

Emagrecimento

Muitos profissionais dizem que é impossível dizer qual que se sobressai

Nutrição

Veja como algumas simples opções naturais podem promover um bom efeito anabólico no corpo

Treinos

O intuito desse conjunto de dicas é evitar que algumas falhas passam despercebidas

Advertisement

Você também vai gostar

Nutrição

O equilíbrio ajuda a manter esse tipo de alimento na dieta balanceada

Nutrição

São alimentos que precisam ser consumidos com moderação

Nutrição

Ambas bebidas podem oferecer alto teor de açúcar

Emagrecimento

Muitos profissionais dizem que é impossível dizer qual que se sobressai