Cruzeiro e os preparativos para a volta por cima

Com sotaque latino, base mantida e planejamento, a Raposa ensaia uma temporada “de luxo”

Crédito: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro
Crédito: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

Crédito: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

O Cruzeiro bicampeão brasileiro já ficou no passado. Depois das duas temporadas brilhantes em que dominou o futebol nacional, o time mineiro fez uma campanha apagada no ano passado e busca recuperar o bom momento. Para isso, aposta em um batalhão de gringos, que já ganhou o apelido de “La Banda”. São seis estrangeiros no total: o uruguaio De Arrascaeta, os argentinos Ariel Cabral, Sanchez Miño, Matías Pisano e Lucas Romero, além do brasileiro naturalizado uruguaio Federico Gino. Desses, os dois primeiros já estavam na Toca da Raposa no ano passado, sem contar o chileno Mena, que foi embora.

Na verdade, o elenco cruzeirense foi um dos que menos se modificou, especialmente na parte defensiva, setor em que a grande expectativa ainda é o retorno do zagueiro Dedé, recuperado após duas cirurgias no joelho direito, mas ainda em busca da velha forma. A briga por uma vaga no time titular deve ser das mais acirradas e o o substituto do demitido Deivid terá de quebrar a cabeça para colocar apenas 11 em campo.

Um exemplo é a disputa pela camisa 10. Élber e De Arrascaeta comeram a bola no Estadual, mas dificilmente poderão ser escalados juntos. Sem dúvida, o meio-campo é o setor mais forte, com volantes técnicos como Henrique, Lucas Romero, Ariel Cabral, Marciel e Sanchez Miño (que atua como ala também). Além deles, os apoiadores Allano, Alisson, Pisano e Federico Gino são boas opções. O ataque, porém, em que pese a qualidade de Willian, Douglas Coutinho e Rafael Silva, é o setor mais carente e poderá receber reforços, aliás já solicitados pelo treinador.

Cravar a raposa como favorita ao título pode ser exagero, uma vez que o time ainda não disputou uma competição realmente forte neste início de ano, mas com um elenco qualificado como esse é bom os rivais colocarem a barba de molho. Uma coisa é certa: o clube soube aproveitar o “tempo livre” e usou o Estadual como pré-temporada de luxo. Assim, deve iniciar a competição voando e tem tudo para embalar. Aí, pode ser difícil pegar.

Os comentários estão desativados.

Recomendadas para você