Flamengo: desafios fora do Maracanã

Dinheiro não é problema na Gávea e o Rubro-negro chega com potencial para uma grande temporada

Crédito: Gilvan de Souza/Flamengo
Crédito: Gilvan de Souza/Flamengo

Crédito: Gilvan de Souza/Flamengo

Investimento não foi problema para o Flamengo montar o time atual. Boa parte dos problemas financeiros de alguns anos atrás foi sanada e as contratações não param de chegar à Gávea. Apesar disso, os primeiros meses da temporada não têm sido como o torcedor rubronegro sonhava. A eliminação diante do Atlético-PR na Copa da Primeira Liga não foi bem digerida e a campanha no Estadual não encheu os olhos de ninguém.

O maior problema do time até aqui tem sido a instabilidade do ataque, em que pese nomes como Guerrero, Cirino e Emerson Sheik. Diante disso, o clube foi atrás de reforços e acertou com o veloz Fernandinho, emprestado pelo Grêmio. A utilização de soluções caseiras, como o talentoso Felipe Vizeu, pode ser uma alternativa, afinal, a tradição de revelar talentos ainda não foi esquecida.

São muitas modificações no time que começa a competição nacional em relação ao que terminou a edição passada na segunda metade da tabela de classificação. Na zaga, apenas Wallace permanece entre os titulares. No meio, o volante Márcio Araújo agora tem a companhia de Willian Arão, que fez uma ótima temporada pelo Botafogo em 2015. Um pouco mais à frente, Mancuello, Alan Patrick e Ederson devem protagonizar uma boa disputa pela titularidade, sem contar Gabriel, outro que fará sombra a eles. Nas laterais, o criticado Pará perdeu o lugar para Rodinei, enquanto na esquerda Jorge agora é titular absoluto. No gol, nem a chegada de Alex Muralha tirou a número 1 de Paulo Victor.

Um ponto polêmico deve ser os mandos de campo. Com o Maracanã fechado até setembro, o Mengão deve atuar em “casas” alternativas, o que pode não ser lá um grande problema quanto à arrecadação – afinal, tem uma grande torcida onde quer que atue – mas tira um pouco da mítica atmosfera que só seus torcedores cariocas sabem criar. Assim, mais do que contar com a força das arquibancadas, é hora de mostrar resultados à altura de um orçamento milionário, invejado por muitos clubes de todo o país.

Os comentários estão desativados.

Recomendadas para você