Internacional: cautela no jogo pode ser essencial para melhorias

Sem status de favorito, Inter entra como coadjuvante, mas espera surpreender

Crédito: Ricardo Duarte/Internacional
Crédito: Ricardo Duarte/Internacional

Crédito: Ricardo Duarte/Internacional

Todo ano é a mesma história: “O Inter vem forte na briga pelo título”, brada algum comentarista esportivo ou um simples torcedor que acompanha o futebol com mais afinco. Na temporada passada não foi diferente. Com um elenco com nomes de peso (principalmente no ataque, com a dupla titular formada por Nilmar e Lisandro López), muitos apostaram que o Colorado fosse quebrar o longo jejum de títulos nacionais, que já dura 36 anos. O time até fez um ótimo segundo turno, mas em nenhum momento chegou a brigar pelo caneco. Na verdade, a boa campanha na segunda metade do campeonato não foi suficiente nem mesmo para garantir uma vaga na Libertadores.

Por outro lado, a saída de algumas peças e a lesão de outros jogadores proporcionaram à comissão técnica a oportunidade para testar alguns jogadores. Assim, nomes como Geferson, Rodrigo Dourado, Eduardo Sasha e Vitinho se saíram muito bem, tornando-se inclusive elementos fundamentais dentro da montagem da equipe. Porém, para 2016, o time terá que lidar com a ausência de um dos maiores ídolos da história recente do clube: o meia D’Alessandro. Depois de oito temporadas defendendo o esquadrão gaúcho, o argentino retornou ao seu país de origem para vestir a camisa do River Plate, clube que o projetou mundialmente.

Para repor a perda técnica, o Inter buscou outro estrangeiro: Luís Manuel Seijas, 29 anos, meia venezuelano que estava no Santa Fé, da Colômbia. Quem também chegou foi o lateral direito Paulo Cezar. Apesar de ter nascido em Porto Alegre, o jogador não somente construiu sua carreira no Chile, como também se naturalizou e até chegou a defender a seleção do país andino em algumas oportunidades. Entretanto, o grande reforço deve ser a volta do jovem Valdívia, fora de combate desde novembro devido a uma lesão no ligamento do joelho esquerdo. Artilheiro colorado na última temporada, o irreverente atleta deseja não somente ajudar o Inter a ter um bom desempenho no Brasileirão, como também garantir uma vaga na seleção olímpica.

Os comentários estão desativados.

Recomendadas para você