Brasileira bate recorde mundial correndo na montanha mais alta da África

Ultramaratonista, Fernanda Maciel completa o trajeto de subida e descida no monte Kilimanjaro em pouco mais de 10 horas e supera recorde mundial de europeia

recorde mundial
Foto: Gabriel Tarso

A ultramaratonista Fernanda Maciel provou que persistência, treino e muita coragem fazem com que tudo se torne realidade. Quer uma prova? Pois na segunda-feira, 25 de outubro, ela escreveu mais um capítulo histórico para o esporte brasileiro, batendo o recorde mundial ao subir e descer correndo a montanha mais alta da África, o Monte Kilimanjaro, com 5.895m de altura.

A brasileira de 37 anos começou a subida pela entrada do Parque Nacional, o Umbwe Gate, a 1.670m, por volta das 5h da manhã. Após 7 horas e oito minutos, ela já estava no topo. Ao todo, o percurso de ida e volta durou 10h6min. As marcas superaram os tempos da corredora alemã/suíça Anne Marie Flammersfeld, que em 2015 completou o trajeto em 12h58min.

“Alcançar o topo foi um momento muito especial, cheio de paz. Foi lindo ver a geleira Stella misturada com o vulcão no alto do Kilimanjaro. Eu trabalhei duro desde o início até o final e tive um grande desempenho, foi mágico. Estava sonhando com este momento há três anos! Tive a oportunidade de desafiar o Monte e também de conquistar o recorde mundial, assim como o do Aconcágua. Correr em montanhas superaltas é um estilo diferente de exploração, uma experiência incrível e espero poder inspirar mais mulheres”, declarou Fernanda.

A preparação antes do recorde mundial

Para se preparar para a subida, Fernanda passou quatros dias se aclimatando na região. Por lá, avaliou a vegetação, terreno e dormiu duas noites a 4.600m. A atleta conta que o principal desafio da subida foram as avalanches de pedras. “Dois dias antes de eu subir, quando estava treinando, passei por uma delas. Na hora, tive que me abaixar e correr como se fosse uma cobra para me esconder atrás de uma pedra. Nessa hora acabei cortando meu joelho. As rochas eram enormes, tinham o tamanho de um fogão. Precisava ficar o tempo todo alerta”, explica.

“Na minha subida, como parte da estratégia para fugir das pedras, tive de reservar bastante energia para a parte acima dos 5.200 metros de altitude. Só assim para ter a capacidade de ir rápido no meio desse vale que é a parte mais perigosa. Isso é um desafio enorme, porque nessa altitude já começo a ter menos oxigênio para respirar”, completou a ultramaratonista.

Outras conquistas da atleta

Além de desafiar e vencer o Monte Kilimanjaro, Fernanda Maciel tem outros grandes feitos na carreira. Em 2016, ela se tornou a primeira mulher do mundo a subir e descer o Monte Aconcágua, que tem 6.952 metros de altura, em menos de 24 horas. Ela completou o trajeto em exatas 22 horas e 52 minutos. No primeiro semestre de 2017, a atleta conquistou o terceiro lugar no Marathon des Sables, uma ultramaratona no deserto do Saara.

E se o ano já acabou para ela? Que nada! Depois dessa conquista, a brasileira se prepara visando à última etapa da Copa do Mundo de Ultramaratona, em Reunion Island, na África, daqui duas semanas. O objetivo da atleta é terminar 2017 no top 3 do ranking mundial das ultramaratonistas.

Curtiu? Então compartilhe com seus amigos corredores para incentivá-los a continuar correndo 🙂

Os comentários estão desativados.

Recomendadas para você