7 dicas na piscina para quem pretende nadar no mar

Nadar no mar é bem diferente, contudo é possível fazer uma rotina de treinos na piscina para conseguir dar as braçadas em águas abertas

8 dicas na piscina para quem pretende nadar no mar
Foto: Shutterstock

As piscinas são mais acessíveis, mas seu sonho é nadar no mar? Então veja como é possível treinar mesmo distante do litoral para alcançar seu objetivo. Confira nossas dicas!

Como aproveitar ao máximo a braçada 

1. Para se deslocar, a puxada (fase subaquática) tem de ser ampla e bem dirigida para trás, finalizando ao lado da coxa. Mais ainda quando você nadar com ondas ou correnteza, cuja única maneira de neutralizar seu efeito é empurrando bem a água. Tome cuidado para que, durante a remada, a mão de apoio não ultrapasse a superfície.

2. Se você quer aproveitar ao máximo a flutuabilidade do mar, após cada recuperação (fase aérea), mantenha sempre o braço contrário de apoio à frente. A sua posição será mais estável e hidrodinâmica. O braço da frente fica submerso aproximadamente um palmo, não na superfície.

3. A coordenação entre os braços é crucial para aproveitar melhor a propulsão da braçada. Por isso, a braçada deve ser sempre alternada. Assim que um dos braços entra na água, o outro, que está próximo à coxa, começa o deslize da braçada. Observe o momento de coordenação da braçada.

Orientação: ponto-chave no mar 

Para que você siga um percurso até o seu ponto de referência ou boia, é fundamental colocar a cabeça fora da água. Como fazer sem que isso afete o nado?

1. Siga com a coordenação entre os braços à frente. Respire do lado em que geralmente tem maior facilidade.

2. Cada braço terá uma função no mar. Por um lado, você aproveitará o impulso de um deles para respirar (de acordo com cada pessoa) e, por outro, o braço oposto será o que destinará seu impulso para elevá-lo acima da superfície. Erga a cabeça para olhar para frente com o deslize do lado contrário. Assim, você evita tomar ar no momento em que erguer a cabeça, evitando engolir água.

3. Mantenha uma boa amplitude de braçada e uma frequência para que possa olhar para frente (a cada duas ou quatro braçadas).

Boia: técnica e tática 

1. Nado crawl: trata-se de rodear a boia continuando com o mesmo nado. A braçada é mais curta, com o braço que está do lado de dentro, para que você possa contorná-la.

Os comentários estão desativados.

Recomendadas para você