Kombucha: o “refrigerante” natural que você precisa experimentar

Conheça os benefícios da bebida que está ganhando cada vez mais adeptos no Brasil e saiba como prepará-la

Kombucha
Foto: iStock

Milenar na cultura oriental, o kombucha é uma bebida feita a partir de leveduras e bactérias benéficas (Acetobacter) que fermentam o chá preto misturado com açúcar. Tem um sabor adocicado, levemente ácido e gaseificado. Seus efeitos benéficos têm despertado muito interesse e curiosidade sobre esta cultura. Ela consiste na doação de colônias, também conhecidas como “scoby”. São discos gelatinosos parecidos com panquecas, para que se possa preparar em casa.

Kombucha

Foto: iStock

Benefícios relatados como redução da pressão arterial, melhora da digestão, dores de cabeça, hemorroida, artrite, gota, diabetes, fadiga, stress, doenças metabólicas e câncer, não foram comprovados cientificamente. No entanto, a nutricionista e chef de cozinha, Carina Müller, explica que o Kombucha deve ser considerado um alimento e não um medicamento de uso terapêutico. “Trata-se de um probiótico, isto é, alimento com organismos vivos que quando administrados em quantidades adequadas, oferecem benefícios à saúde”, diz.

A nutróloga Andréia Guarniei afirma que  o alimento contribui para a melhora da flora intestinal. Esta, está diretamente ligada à imunidade e consequentemente a outros problemas de saúde, tais como candidíase, constipação, cistite, infecção urinária, diarreia, síndrome do intestino irritável, doença de Crohn, inflamação intestinal. “Propriedades bactericidas, fungicidas e anti-inflamatórias também podem ser atribuídas à bebida”, diz a médica. Carina completa: “Estudos relatam melhora no sono e alívio de dores em ratos. Desta forma, pode contribuir para o processo de emagrecimento, desde que acompanhado de uma dieta equilibrada”, afirma a nutricionista.

VEJA TAMBÉM: Sucos funcionais para combater o inchaço

Preparo do Kombucha

A forma de preparo é relativamente simples, conforme ensina Carina Müller:

Prepare um chá (pode ser preto ou verde). Misture o açúcar (que será o alimento dos microrganismos) e deixe esfriar até uma temperatura amena antes de colocar a colônia, para que esta não morra devido à alta temperatura. Em seguida, coloque em um vidro e adicione a colônia com mais 10% do líquido de outro Kombucha. Cubra com um pano limpo e amarre com um barbante ou elástico para não entrar nenhum inseto.

A fermentação deve acontecer de 6 a 10 dias, dependendo da temperatura ambiente. O vidro deve ficar num local arejado e sem luz direta. Depois coe e está pronto para o consumo. Se quiser uma bebida mais gaseificada como um refrigerante ou espumante por exemplo, deve-se fazer a segunda fermentação. Desta vez, em garrafas PET. Nela é possível fechar e retirar totalmente o ar de dentro para uma fermentação anaeróbica (uma técnica um pouco mais sofisticada).

O produto final é uma bebida levemente carbonatada com ácidos orgânicos, vitaminas, minerais e os componentes presentes nos chás naturalmente, tais como antioxidantes (flavonoides e catequinas), cafeína e aminoácidos. Uma bebida rica nutricionalmente. Para a nutricionista, o consumo recomendado é de 100 ml a 300 ml por dia.

Atenção: Apesar de não possuir toxidade, o preparo do Kombucha deve ser muito cuidadoso. Todos os utensílios devem ser esterilizados e limpos antes do uso para evitar contaminação da bebida por microrganismos.

Os comentários estão desativados.

Recomendadas para você