Maratona: você nasceu para correr uma?

Veja se você está preparado para encarar uma maratona, que exige condições físicas e psicológicas bem particulares, ou se é o caso de se dedicar a provas mais curtas

Foto: Pixabay

Com a multiplicação das provas de corrida, ficou fácil adicionar a maratona à antiga lista de desejos. Entretanto, apesar de ser um desafio e uma conquista, é preciso cuidado para encarar o projeto, para que ele não se transforme em sofrimento e decepção.

 

Foto: Divulgação

A rotina de treinos é dura e bastante exigente. Quem vai se dedicar para a maratona precisa saber que terá de abrir mão de algumas coisas. Contar com o apoio de amigos, familiares e pessoas com quem se trabalha é essencial. Acordar cedo, treinar em dias chuvosos e deixar de participar do happy hour com os colegas também estão no pacote. “Existe um tipo de aluno tão determinado a fazer das maratonas um estilo de vida que troca todo o seu círculo de amigos, o trabalho e até a mulher ou o marido para levar a corrida adiante, se for preciso”, observa o treinador Fábio Rosa, da MPR Assessoria Esportiva. Muitos corredores não estão dispostos a mudanças tão drásticas. Nesse caso, dedicar-se a provas mais curtas pode ser a garantia de prazer com a corrida.

 

VEJA TAMBÉM: Os benefícios dos alimentos verdes para a saúde

 

Corpo e mente para a maratona

No que diz respeito às estruturas fisiológicas, o pesquisador e treinador Lucas Tessutti, do laboratório de biodinâmica do movimento humano da Unicamp (SP), explica que, em princípio, nada impede um corredor de se dedicar às maratonas, ainda que haja perfis mais adequados que outros.“Qualquer um que corra pelo menos 10 km pode ser um maratonista, pois as características fisiológicas são modificadas com o treinamento. Para atletas profissionais isso já é mais complicado, pois eles criaram uma identidade fisiológica para provas de menores distâncias e precisaria haver uma completa readaptação”, explica.

Raio-x do futuro maratonista

Para além do aspecto físico, portanto, o segredo parece estar na cabeça, porque parte importante do sucesso está na capacidade de se motivar e de persistir diante de algumas frustrações e dificuldades. “Para uma maratona é necessário ter ‘resistência psicológica’, tolerância ao desgaste físico e ao desconforto decorrente da longa duração da atividade, muita determinação, disciplina, assiduidade e persistência nos treinos. Isso requer planejamento, orientação adequada, tempo para treinar e muita dedicação”, explica Fábio Luiz Massarella, treinador filiado à Confederação Brasileira de Atletismo e mestre em educação física pela Unicamp.

É claro que, para quem tem um perfil físico e psicológico mais adequado, o desafio fica mais prazeroso. Mas, afinal, o que faz de um corredor um maratonista? A psicóloga esportiva Carla Di Pierro, sócia diretora da Task Psicologia Esportiva, dá outras pistas. “Geralmente é uma pessoa superdeterminada, que consegue estabelecer seus objetivos e os persegue até alcançá-los. É possível identificá-la pelo comportamento: consegue levantar cedo para os treinos, mesmo com frio ou chuva; tem um comprometimento não somente com o treino, mas também com a alimentação, o sono e a recuperação, entre outras coisas. É alguém que claramente não desiste diante da primeira dificuldade”, diz. “A pessoa que treina para maratonas busca continuamente atingir metas, e quer provar a si mesma ou aos outros que é capaz de superar grandes desafios. Pode querer realizar, ainda, um sonho alimentado desde outros tempos. Os motivos geralmente estão associados à superação”, completa Massarella.

O treinador Fábio Rosa cita como exemplo um aluno que voltou a correr depois de dez anos. “Ele pesava 120 kg, havia se tornado completamente sedentário, se dividia entre duas cidades, trabalhava bastante, tinha hábitos alimentares terríveis e não dispunha de uma boa condição financeira. Em oito meses, mudou de vida, emagreceu 30 kg e conseguiu que o chefe pagasse sua inscrição e a viagem para que ele corresse a Maratona de Chicago. Tudo conspirava contra, mas não dá para mensurar a força de vontade”, alegra-se Rosa.

 

Teste da maratona

Assinale as alternativas que mais combinam com você e veja o resultado ao final do teste.

1. Você treina há quanto tempo?

Mais de 1 ano (+3)
Entre 6 meses e 1 ano (+2)
Menos de 6 meses (+1)

 

2. Qual a sua quilometragem semanal?

Acima de 50 km (+3)
Entre 30 km e 50 km (+2)
Abaixo de 30 km (+1)

3. Qual a sua marca atual nos 5 km?

Abaixo de 25 min (+3)
Entre 25min e 30 min (+2)
Acima de 30 min (+1)

 

4. Nos últimos 6 meses, você participou de:

Uma ou mais provas acima de 15 km (+2)
Uma ou mais provas entre 5 km e 10 km (+1)
Nenhuma prova (-1)

5. Possui algum histórico de lesão de coluna, quadril, joelho ou tornozelo?

Sim, mas não sinto mais nada há mais de 1 ano (+2)
Sim, e ainda sinto algum desconforto durante a atividade física (-1)
Não (+3)

6. Possui algum histórico de lesão muscular nas pernas ou costas?

Sim, mas não sinto mais nada há mais de 1 ano (+2)
Sim, e ainda sinto algum desconforto durante a atividade física (-1)
Não (+3)

7. Marque os itens que fazem parte do seu comportamento habitual (um ponto para cada um):

Estabeleço metas claras para meus treinos
Divido as provas em 3 ou 4 partes com metas específicas para cada uma
Presto atenção apenas à minha própria corrida, sem me preocupar com os outros corredores
Sempre estudo o percurso antes das provas
Analiso a prova e os possíveis contratempos
Durante a corrida, sempre mantenho pensamentos positivos e saudáveis
Sigo uma rotina antes dos treinos (aquecimento, alimentação etc.)
Aceito bem as condições que não controlo (calor, umidade, chuva, vento, desorganização etc.)
Sempre consigo seguir o planejado
Busco ajuda de pessoas e fontes qualificadas para treinar

 

8. Você é um corredor que (assinale -1 ponto para cada alternativa):

Se frustra quando não alcança a meta desejada
Fica irritado quando as coisas fogem ao planejado
Costuma estabelecer metas muito ambiciosas

 

RESULTADOS

Até 14 pontos

O melhor neste momento é focar nas provas mais curtas, de 10 km. Os treinos são mais dinâmicos e rápidos, mas nem por isso menos desafiadores. Basta acrescentar metas, como diminuir o tempo, melhorar o ritmo ou virar expert em subidas. Além disso, dedicar-se a esse tipo de prova oferece maior flexibilidade de horários para treinar e proporciona um convívio social sem tantas amarras.

De 15 a 24 pontos

Que tal encarar uma meia maratona? Você já está preparado para aumentar a quilometragem. Além de ser muito menos desgastante que a prova de 42 km, também permite maior contato social e exige menos sacrifícios. Além disso, é estimulante, porque você pode disputar provas em belas cidades do país, e o aumento da quilometragem traz mais confiança e prazer com a corrida.

Mais de 25 pontos

Você está pronto para se dedicar ao treinamento exigido para enfrentar uma maratona. Além de ter boa base para aumentar com segurança o volume de corrida, você também é disciplinado e determinado, ou seja, ao ter a maratona como meta, certamente você vai passar por cima dos sacrifícios e dificuldades inerentes ao desafio.

 

Teste elaborado com a ajuda de:
Renato Dutra, diretor técnico da Run&Fun Assessoria Esportiva (SP)
Marcelo Augusti, pós-graduado em fisiologia do esporte pela Unifesp (SP)
Benno Becker Júnior, graduado em psicologia e educação física e doutor em psicologia pela Universidade de Barcelona (Espanha)
Tiago Duarte, psicólogo especializado em psicologia do esporte e associado à International Society of Sport Psychology (ISSP)

 

 

 

Texto de Marina Gomes

Edição on-line Amanda Preto

 

 

 

 

 

Os comentários estão desativados.

Recomendadas para você