Connect with us

O que você está procurando?

Suzana Bonumá

Os perigos da frutose

A frutose não está presente apenas nas frutas. Ela pode ser derivada de vegetais como o milho. E é aí que mora o perigo

Foto: Shutterstock Images
[PAGE TITLE]

Quando se fala em frutose, logo se pensa em frutas, certo? Depende. Nem todo açúcar que emana das frutas é frutose e nem só nas frutas ela está presente. Batizado também de levulose, esse açúcar é obtido do mel, de alguns vegetais e do milho.

Estudos recentes relacionam o seu consumo excessivo com o desenvolvimento da síndrome metabólica, incluindo obesidade, diabetes e doenças cardíacas. Outros estudos sugerem que a frutose pode aumentar o apetite, uma vez que a sua ingestão
reduz a secreção de leptina no organismo, um hormônio relacionado à sensação de saciedade, importante para o controle do peso.

A frutose derivada do milho é foco de preocupação na saúde pública por ser largamente utilizada na fabricação de alimentos. É um produto obtido industrialmente da glicose, que é feita do amido, subproduto do fubá, que um dia foi milho. Desse complexo processamento chega-se ao xarope de milho, um ingrediente de baixo custo, elevado poder adoçante e que nada tem a ver com o
nutritivo milho que conhecemos.

Advertisement. Scroll to continue reading.
Foto: Shutterstock Images

Foto: Shutterstock Images

Portanto, aquela frutose que vemos em muitos rótulos de alimentos nada mais é do que xarope de milho. Devido ao seu uso generalizado pela indústria alimentícia para adoçar geleias, doces, bolachas, molhos prontos, sucos e refrigerantes, o xarope
de milho alavancou o consumo de frutose nas últimas décadas.

De acordo com o panorama atual, as diretrizes de saúde voltam-se para a redução da ingestão de alimentos com adição de açúcar. Portanto, fique atento aos alimentos contendo ingredientes como xarope de milho, frutose, adoçante de milho, levulose,
mel e dextrose, além da conhecida glicose.

O consumo de frutose proveniente das frutas também deve ser moderado, especialmente em pessoas que precisam perder peso ou controlar os níveis de açúcar no sangue. No entanto, não representa um perigo à saúde, desde que consumido com moderação, já que apresentam uma sinergia de nutrientes e fibras que favorecem a sua metabolização. Leia sempre a relação de ingredientes
dos alimentos processados antes de comprá-los e dê preferência aos alimentos frescos. Muitas vezes, a composição de um alimento
não corresponde ao seu atraente rótulo.

Advertisement. Scroll to continue reading.
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Advertisement

Você também vai gostar

Saúde

Aplicado como preenchimento para aumentar a musculatura, óleo mineral pode ser fatal

Fitness

Treinador explica os riscos de realizar certos movimentos de maneira inadequada na academia

Condicionamento Físico

Parar de praticar exercícios físicos por um tempo pode dificultar a volta para a academia. Confira como readaptar o corpo e recuperar o ritmo

Emagrecimento

Especialista em emagrecimento revela três benefícios da perda de peso que vão além dos fatores estéticos. Ganhos podem servir de motivação