5 dicas para espantar a preguiça e treinar no inverno

Como levantar e ter disposição para treinar no inverno? Entenda por que é mais difícil deixar o cobertor e as dicas para se manter ativo

5 dicas para espantar a preguiça e treinar no inverno
Foto: Shutterstock

Treinar no inverno parece ser infinitamente mais difícil que em outras épocas do ano, não é mesmo? A vontade de ficar aquecido em casa aumenta e parece que não temos disposição para fazer nada.

De acordo com o diretor técnico da Bodytech, professor de Educação Física, mestre em Ciência da Motricidade e pós-graduado em Fisiologia do Exercício, Eduardo Netto, as baixas temperaturas fazem com que os músculos do corpo se contraiam para reter calor, então há maior dificuldade para se movimentar. “Por isso, temos a impressão de que é necessário muito mais esforço e deixamos de nos exercitar”, detalha.

Apesar da explicação biológica e da preguiça que realmente existe para treinar no inverno, o especialista afirma que manter-se em movimento é essencial. Além disso, temos a tendência a maior ingestão de alimentos calóricos nessa época do ano. Por isso, ele selecionou 5 dicas para encarar as baixas temperaturas. Confira as dicas!

1) Melhor horário

Segundo o especialista, não existe o horário ideal. Contudo, ao treinar ao ar livre, deve-se evitar os períodos com temperatura muito baixa. Contudo, caso este seja o único horário disponível na agenda, a dica é usar agasalhos para evitar problemas como a hipotermia. Quem tiver uma rotina mais flexível, deve optar por horários em que haja maior incidência do sol. Pois, os raios solares ajudam a estimular os músculos.

2) Hidratação

O tempo seco, tão comum neste período do ano, pode prejudicar o aparelho respiratório, especialmente em quem se exercita ao ar livre. Então, a dica para evitar este problema é se hidratar com bastante água antes, durante e depois do treino no inverno.

3) Roupas

As roupas aumentam a barreira de isolamento e são as principais responsáveis pelo desempenho e conforto durante as atividades físicas. Evite as peças emborrachadas e as impermeáveis, como jaquetas de nylon. Elas não permitem a boa transpiração e não absorvem o calor. Por consequência, aumentam a temperatura corporal e podem provocar o mal estar. “Outro fator importante é manter as mãos e os pés quentes. Isso porque o frio provoca o desvio do sangue para os tecidos mais expostos. Com isso, caso as extremidades não estejam protegidas, corremos o risco de não mantermos o centro do corpo e os órgãos internos protegidos”, conta.

4) Risco de lesões

Existe o mito sobre a maior incidência de lesões durante a prática de exercícios no inverno. Segundo Netto, não existem evidências científicas que comprovem a questão. Mas, ele destaca que para evitar qualquer tipo de problema, dos mais leves aos graves, é importante ter uma preparação prévia para o exercício. “O corpo em repouso leva mais tempo para atingir a temperatura ideal para a atividade física, por isso o aquecimento é muito importante”, enfatiza.

5) Aquecimento

“Sem dúvida, o tempo dedicado ao aquecimento tem que ser maior ao treinar no inverno. O corpo precisa de um processo mais elaborado e de cuidados adicionais para que o exercício seja feito de forma segura e confortável. Como a transição do repouso para o exercício é um processo lento e ainda mais dificultado durante o frio, o aquecimento requer maiores cuidados”, finaliza.

Os comentários estão desativados.

Recomendadas para você