Nutrição comportamental: como as emoções sabotam a sua dieta

A saúde mental interfere diretamente nas escolhas alimentares. Saiba evitar armadilhas

nutrição comportamental
Nutrição comportamental / Foto: Shutterstock

A nutrição comportamental é um conceito utilizado por profissionais para balancear boas escolhas alimentares com uma saúde mental positiva. Em tempos de pandemia e confinamento, muitas pessoas foram forçadas a se afastarem de atividades de lazer e entretenimento. Com isso, surgiram inúmeros problemas relacionados à estresse, ansiedade e depressão. E a maneira que alguns encontraram para amenizar os efeitos da quarentena foi descontar todas essas questões na comida.

Um erro que, além de elevar os casos de sobrepeso e obesidade, ainda pode piorar a saúde mental das pessoas. E é aí que entra a nutrição comportamental. “Casos de transtornos alimentares têm crescido todos os anos e, catalogados, somam 12 tipos diferentes. Então, na abordagem comportamental, olhamos primeiro as emoções, pois antes de saber o que comer, é preciso saber o porquê o paciente come”, explica a nutricionista Fernanda Larralde.

Por outro lado, com o avanço da vacinação e o retorno gradativo das atividades, grande parte da população se vê motivada a correr atrás do prejuízo. O problema é que apostar em métodos mirabolantes e dietas milagrosas também não é uma boa ideia.

“Muitas vezes, as pessoas relacionam uma alimentação saudável à uma dieta restritiva. O que não a torna sustentável e pode acarretar mais sentimentos incômodos. Potencializando a ingestão de alimentos por compulsão”, alerta a especialista em nutrição comportamental.

De acordo com a especialista, consultar um profissional especializado em nutrição comportamental é a melhor saída para as pessoas que identificaram problemas dietéticos relacionados à saúde mental. Afinal, esse pode ser o motivo delas não conseguirem realizar uma dieta saudável por muito tempo.

“Precisamos entender como as emoções influenciam na ingestão dos alimentos e se há a necessidade do envolvimento de outros profissionais da saúde para um acompanhamento mais eficaz. Cada corpo é diferente e requer cuidados próprios. Por isso, a importância de procurar por um profissional que entenderá suas necessidades”, comenta.

No entanto, se você vive caindo em armadilhas, que te impedem de conquistar um corpo saudável, um conceito básico da nutrição comportamental pode funcionar. “Em hipótese alguma deve-se deixar de comer o que se gosta. Quanto mais leveza trazer para a rotina alimentar, comendo o que gosta, muito mais fácil e prazeroso será o processo e o alcance dos resultados”, finaliza Fernanda.

Os comentários estão desativados.

Recomendadas para você