Minha primeira meia maratona foi marcante — e muito bonita

Jornalista descreve estreia no cenário carioca: “Se tinha dúvidas sobre começar justamente no Rio de Janeiro, as respostas vieram ao longo da prova”

primeira meia maratona de Thiago
Thiago em ação. Foto: Arquivo pessoal

Acostumado a disputar provas de 5km e 10km, jornalista corredor se impôs o desafio de disputar sua primeira meia maratona. E não poderia ter feito escolha melhor… Confira seu relato!

Depoimento de THIAGO KOGUCHI

“Correr vicia.”

Foi o que um grande amigo meu me disse quando decidi me aventurar no universo das corridas. Na verdade, já tinha lido e ouvido a frase diversas vezes, mas são as palavras ditas por ele que me voltam à memória toda vez que termino uma prova. E foi essa inquietação que me fez encarar o desafio de correr uma meia maratona.

Eu decidi pela Meia Maratona Internacional do Rio. Pelo menos, foi a que me chamou a atenção quando procurei no Google, sem muitas pretensões, um calendário das provas mais importantes que aconteceriam no Brasil até o final de 2017.

O problema é que, para quem jamais tinha chegado perto de 14km nos treinos, como encarar uma prova que ia além disso? Foi quando decidi fazer o primeiro longão da minha vida, ainda em abril.

16k.

Senti que era possível, ainda mais com quatro meses à frente, e fiz a inscrição.

A ansiedade veio quando faltavam sete dias. Bastou a TV Globo fazer uma chamada da prova durante a transmissão de uma partida de futebol que os fantasmas da encanação surgiram: será que eu tinha feito tudo certo? Vou conseguir chegar ao final? E se eu me machucar logo agora? Há um momento da preparação que a cabeça precisa de mais treino do que o próprio corpo.

Se eu tinha alguma dúvida se valeria a pena, os 21km responderam por si. A corrida começa em São Conrado, passa pela Avenida Niemeyer (o único trecho relevante de subida) e depois começa uma sequência difícil de ser ignorada: Leblon, Ipanema e Copacabana. Ao sair do Túnel Lauro Sodré, o corredor é “abençoado” pelo Cristo Redentor, rumo ao terço final da corrida. A chegada, no Aterro do Flamengo, tem o Pão de Açúcar como um belo pano de fundo para tirar uma foto com a merecida medalha.

O esforço vale a pena. Existem algumas coisas que tornam a corrida ainda mais divertida, como o público que incentiva à beira das avenidas e os famosos corredores fantasiados. E, sim, como a organização diz, são os 21km mais bonitos do país.

 

Agora vai! 21 dicas para estrear na meia maratona

 

Leia também: José Márcio vence a Meia Maratona do Rio 2017

Os comentários estão desativados.

Recomendadas para você