Connect with us

O que você está procurando?

Busca

Nutrição

Proteína também é fundamental para emagrecer rápido; entenda o motivo

É a substância identificada em todos os tipos de células

Proteína
Proteína - Shutterstock

Resumidamente, a proteína consiste em moléculas grandes formadas por meio da união de diferentes aminoácidos, compostas por moléculas de carbono, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio. Essa substância exerce papel importante para o nosso metabolismo e, também, é a “parceira” de quem quer emagrecer.

Qual é o consumo diário ou semanal de proteína que ajuda no emagrecimento?

“De forma geral, para um indivíduo adulto o consumo proteico recomendado é de cerca de 20 a 30g de proteína a cada três a quatro horas. Isso porque o nosso corpo tem uma capacidade máxima de absorção por refeição e por isso não é interessante consumir muita proteína sem distribuir corretamente”, disse com exclusividade para o Sport Life a médica da Liti Dra. Beatriz Tebaldi.

A recomendação é diferente o público da terceira idade. Beatriz cita a dificuldade para quem está com 60 anos ou mais como justificativa para o aumento de proteína. Há de se lembrar que os idosos estão sujeitos a sarcopenia, processo presente no envelhecimento em que ocorre a perda de massa muscular.

“Em idosos, por ocorrer maior dificuldade na metabolização desse nutriente. Por exemplo: uma dose de whey protein 1h30 antes de dormir pode auxiliar na síntese proteica durante o sono”, relatou Beatriz.

Ponderações

Ainda assim, a doutora pontuou em contato com a reportagem que o consumo diário ou semanal de proteína para o emagrecimento varia conforme a idade, sexo biológico, peso, altura, nível de atividade física e outros fatores individuais. Paralelamente existem estudos que afirmam que as proteínas distribuídas de forma adequada no dia a dia influenciam na qualidade do emagrecimento.

“Deixo claro que são recomendações para indivíduos saudáveis e sempre indico o acompanhamento com médico e nutricionista para que as quantidades sejam individualizadas”, alertou Tebaldi.

O “alerta”, na verdade, tem relação com as fontes proteicas com gordura saturada e carboidratos refinados associados. Esse auxílio recai tanto para proteína de origem animal quanto a de origem vegetal.

“Exemplos: carnes gordurosas e produtos proteicos industrializados com alto teor de gordura e açúcares, como algumas barras de proteínas. Algumas fontes de proteínas vegetais, como nozes, sementes, edamame e abacate também são ricas em gorduras insaturadas e dependendo de como o seu corpo reage a essas gorduras pode não ser interessante o consumo delas durante o emagrecimento, além de acrescentar mais calorias nesse momento. Por isso a importância de descobrir qual a melhor alimentação que funciona para o seu metabolismo”, destacou a doutora.

O impacto da proteína na menopausa

Existe uma “ambiguidade” nesse último ciclo menstrual que ocorre no geral de 45 a 55 anos. Essencial na manutenção da massa muscular e óssea, a proteína também afeta negativamente a fase, devido às mudanças hormonais. Portanto, na menopausa o consumo diário de proteína de pelo menos 1g a 1,2 g por quilo de peso corporal fica dentro do ideal.

“Vale ressaltar que cada caso é único, ou seja, a ingestão de proteína deve ser avaliada individualmente por um profissional habilitado, considerando o estado de saúde, o estilo de vida, a prática de atividade física e entre outros fatores. Além disso, é importante destacar que a ingestão de proteína deve ser equilibrada com a dos outros nutrientes em um plano alimentar completo para manter a saúde metabólica da mulher em todas as fases da vida”, reforçou a profissional.

Como conciliar o consumo diário de proteína com suplemento?

“Caso você deseje conciliar e mesclar no seu dia, o suplemento pode substituir a proteína de alguma refeição intermediária. Por exemplo: o seu lanche da tarde ou a proteína que você consome antes do treino. Importante lembrar que os suplementos proteicos devem ser utilizados sempre acompanhados de orientação médica e nutricional”, concluiu a Dra. Beatriz Tebaldi.

Dados

A pesquisa encomendada pela ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal) ao CEAP (Centro de Assessoria e Pesquisa de Mercado) citou que o consumo de proteína animal se encontra em 98% das casas. O ovo é o mais consumido, seguido da carne de frango e suína. Levantamento divulgado em 2021.

O Grupo Kantar afirmou por meio do seu estudo, que 36 milhões de brasileiros ingeriram proteínas vegetais no ano de 2021. O que denota a busca recorrente da maioria das pessoas pelo bem-estar e preocupação com o planeta.

Escrito por

Advertisement

Últimas Noticias

Nutrição

O equilíbrio ajuda a manter esse tipo de alimento na dieta balanceada

Nutrição

São alimentos que precisam ser consumidos com moderação

Nutrição

Ambas bebidas podem oferecer alto teor de açúcar

Emagrecimento

Muitos profissionais dizem que é impossível dizer qual que se sobressai

Nutrição

Veja como algumas simples opções naturais podem promover um bom efeito anabólico no corpo

Treinos

O intuito desse conjunto de dicas é evitar que algumas falhas passam despercebidas

Advertisement

Você também vai gostar

Nutrição

O equilíbrio ajuda a manter esse tipo de alimento na dieta balanceada

Nutrição

São alimentos que precisam ser consumidos com moderação

Nutrição

Ambas bebidas podem oferecer alto teor de açúcar

Emagrecimento

Muitos profissionais dizem que é impossível dizer qual que se sobressai