Alimentação e exercício físico para recuperação da covid-19

Alimentação e exercícios são dois fortes aliados para atingir a imunidade, algo tão buscado ainda mais durante a pandemia de Covid-19

Alimentação e exercício físico para recuperação da covid-19
Foto: Shutterstock

A busca por melhorar a nossa imunidade cresceu muito no último ano. Com a chegada da pandemia ao Brasil, as pessoas buscaram se informar mais para evitar adquirir novas e antigas doenças. E, para deixar o mecanismo de defesa do nosso organismo forte conta os antígenos, as substâncias estranhas que tenham invadi-lo, nada melhor do que combinar uma alimentação saudável com a prática de exercícios físicos.

“Podemos classificá-la de diversas formas. Entre elas, destaco a imunidade inata, presente nos indivíduos saudáveis, e a imunidade adquirida, que ocorre depois do contato com um agente invasor e se torna específica contra esse agente. É o que acontece no caso das vacinas”, informa Dra. Livia Salomé, médica especialista em Medicina do Estilo de Vida pela Universidade de Harvard e vice-presidente da Regional Minas Gerais do Colégio Brasileiro de Medicina do Estilo de Vida.

Dra. Livia explica que a imunidade é essencial para que o organismo se defenda ou se recupere de diversas doenças causadas por agentes químicos ou biológicos. “Durante a recuperação da Covid-19, é fundamental investir em estratégias de saúde para que o corpo mantenha a homeostase, que é tendência a resistir a mudanças para um ambiente interno estável”, diz ela. No topo da lista das prioridades para este fim, ela coloca a alimentação balanceada e a prática regular de exercícios físicos.

“Os pacientes que contraíram o coronavírus podem continuar sentindo fadiga crônica, falta de olfato e paladar, tosse e dor de cabeça por longos períodos”, lembra a especialista em Medicina do Estilo de Vida. Por isso, ela recomenda uma alimentação equilibrada, rica em frutas, legumes e verduras. “Além disso, deve-se evitar alimentos industrializados, açúcares e álcool”, orienta. 

Ela lembra ainda que as frutas cítricas são ricas em vitamina C e em fibras. Logo, estimulam a resistência a infecções, aumentando as propriedades anti-inflamatórias e a imunidade do corpo. Entre as opções, a especialista destaca laranja, limão, morango, kiwi e mexerica.

Já as atividades físicas são reconhecidas por fortalecer o sistema imune, ajudando na prevenção de doenças infecciosas respiratórias. Isso porque elas proporcionam um efeito sistêmico, melhorando a resposta imune e as condições metabólicas e cardiovasculares do indivíduo. Para ter-se uma boa imunidade, é importante, por exemplo, a presença de uma alimentação saudável. “Mas obviamente é importante evitar o exagero, pois ele leva ao efeito contrário e à consequente queda no sistema imunológico. Aliás, esse hábito pode ser tão prejudicial quanto o sedentarismo”, pondera Dra. Lívia.

Os comentários estão desativados.

Recomendadas para você