Cresce o consumo de ovo no Brasil. E isso pode ser muito bom

Com o aumento no preço da carne vermelha, o ovo ganha mais espaço no prato dos consumidores. Entenda como isso pode ser benéfico!

Ovo: como o aumento nas vendas pode favorecer nossa saúde
Foto: Shutterstock

O aumento no preço da carne bovina nos supermercados brasileiros aliado a uma tendência ao autocuidado na população em 2021 resultou em uma busca por alimentos proteicos, saudáveis e de fácil acesso, sendo o ovo um deles.

“O aumento no preço da carne vermelha ocasionou uma maior demanda pelo frango e pelo ovo, que são outras proteínas muito presentes no prato dos brasileiros. No entanto, essa ampla procura consequentemente também provocará um aumento no valor desses insumos. Além disso, devemos ter em mente que os custos para os produtores também aumentaram. Na criação das galinhas são usadas rações à base de farelo de soja e milho, commodities cotadas em dólar, que encareceu”, conta o consultor e nutricionista Marco Quintarelli.

Marco reforça as qualidades desse ingrediente. “O ovo é um alimento de fácil digestibilidade, além de ter um alto teor proteico. 2 porções de ovo equivalem a quase 20% das recomendações diárias (RDAs) de proteínas numa dieta base em torno de 2000 kcal/dia. De fácil preparação e transporte, o ovo cozido pode auxiliar no atendimento de uma refeição rápida, prática e que se pode ser feita fora de casa. Desde que o alimento seja preparado e armazenado de forma correta, tem um impacto extremamente positivo na alimentação das pessoas”, aponta.

O especialista ainda coloca o alimento como o segundo melhor, atrás somente do leite materno. “O ovo é uma proteína de alto valor biológico, pois fornece ao indivíduo todos os aminoácidos essenciais. Além das Vitaminas do Complexo B, como a riboflavina (B2), B6, Colina e B12 , também garante a Vitamina A, D, E e K, e minerais como zinco, cálcio, selênio, fósforo e ferro. O ovo também oferece ao corpo humano o acído graxo, Ômega 3, luteína e zeaxantina (compostos bioativos). Destacamos a Colina como a vitamina que se encontra em alta concentração nos ovos, de extrema importância no desenvolvimento neurocognitivo, proteção do sistema nervoso e memória. Além da luteína e zeaxantina como antioxidantes carotenóides que ajudam na preservação da mácula ocular”, emendou.

Para finalizar, Marco conta como é fácil adicioná-lo na dieta. “Existem muitas formas de se incluir o ovo na alimentação de maneira saudável. Sejam elas nas principais refeições (café da manhã, almoço e jantar) ou até substituindo um lanche, tudo vai depender de uma avaliação nutricional individualizada feita por um especialista, onde o médico indicara a quantidade, frequência de consumo e a forma de preparação. As melhores formas de se consumir o ovo são cozidos, de forma pochê ou fritos, com pouco óleo e de gema preservada durante a cocção. Eles servem para todas as refeições, principalmente se acompanhados de complementos saudáveis como frutas, verduras e legumes”, conclui.

Os comentários estão desativados.

Recomendadas para você