Cicloturismo: viaje com a magrela!

O cicloturismo é para quem gosta de natureza e de conhecer lugares novos. Basta uma bike, um destino e planejamento

cicloturismo
Foto: Shutterstock
cicloturismo

Foto: Shutterstock

De todas as incríveis manobras e opções que as bikes permitem, o cicloturismo talvez seja a mais tranquila e prazerosa delas. Cicloturismo não tem nada a ver com competição e sim com usar o seu tempo livre para conhecer um lugar novo. Você pode planejar a viagem da sua maneira, fazê-la no seu ritmo, mudá-la no meio do percurso, parar na hora que desejar para admirar uma bela paisagem, fazer um piquenique ou até acampar em um local bacana que descobriu no meio do caminho.

+ 6 dicas para pedalar no campo e na estrada 

Para tanto, é preciso obter algumas informações sobre ele e verificar qual a melhor época do ano para visitá-lo. Mas, diferentemente do turismo padrão, é preciso analisar se é possível chegar até ele com a magrela e que percalços provavelmente enfrentará no percurso. Trechos de estrada de terra, por exemplo. Ou rodovias supermovimentadas. Quem não tem muita segurança se conseguirá enfrentar esse tipo de jornada deve procurar uma agência especializada.

Para começar

Para fazer uma viagem de bicicleta, não é necessário ser atleta. Apenas é preciso ter um bom condicionamento físico e ter familiaridade com a bike. Em relação à viagem escolhida, é recomendado pesquisar na internet relatos de passeios anteriores e participar de grupos de discussão para conversar com que já foi.

+ Como evoluir no treino de bike 

Se você é marinheiro de primeira viagem, confira as dicas abaixo:

– Comece com pequenas viagens perto de sua casa, mesmo que sejam distâncias de 20 a 50k. Isso o ajudará a ganhar experiência e conhecer melhor a sua bicicleta.

– Peça para um amigo para acompanhá-lo de carro, como uma espécie de apoio.

– Não viaje sem avisar alguém e evite ir sozinho.

– Pedale ao menos uma vez por semana para preparar o seu corpo.

– Encontre o seu ritmo nas pedaladas. O importante é que seja confortável e que lhe dê prazer.

– Verifique o aperto dos parafusos, a regulagem das mudanças de marchas e o estado dos freios.

Itens indispensáveis

Alguns itens são essenciais para que o seu passeio seja um sucesso. Saiba quais são os acessórios que não podem ser deixados de fora na hora de partir para uma longa pedalada:

cicloturismo

Foto: iStock

Segurança

Refletivos nos pedais, na frente, atrás e dos lados da bicicleta, são equipamentos obrigatórios. Assim como campainha e o espelho retrovisor do lado esquerdo. Também essenciais são as luvas e o capacete. Mesmo que não pretenda viajar de noite, leve sinalizadores luminosos.

Ciclocomputador

O hodômetro é muito importante, pois informa a quilometragem rodada e ajuda a dar uma ideia de a quantas anda o seu ritmo na estrada.

Selim

Os selins originais geralmente não são adequados para pedalar longas distâncias. Há selins de vários tamanhos e modelos, com gel, molas ou amortecedores. Para saber se ele é o melhor para você, só experimentando.

cicloturismo

Foto: Shutterstock

Bagageiros

Mesmo que você opte por hospedar-se em pousadas ou hotéis, não há como evitar a carga. Não leve nada preso ao corpo. Além de aumentar a sudação, o calor e o desconforto, leva o corpo a ficar mais atado ao selim, prejudicando a lombar, região que costuma sofrer. O melhor é prender todo o equipamento na bicicleta. Basta instalar um bagageiro sobre a roda traseira. Conforme a necessidade, pode-se utilizar um bagageiro sobre a roda dianteira ou preso ao guidão. Como regra, busque um bagageiro que, depois de instalado, deixe a equipagem mais próxima do solo e do centro de gravidade da bike, ou seja, o mais perto possível do eixo central (dos pedais). Os feitos com finos tubos de aço são melhores que os maciços: são mais firmes, fortes e leves.

Alforjes

Bolsas idênticas que ficam instaladas nos dois lados da bicicleta. É a melhor forma de carregar o equipamento, pois distribui melhor o peso na parte baixa da bike. Se tiver pouca bagagem, poderá levá-la atada no alto do bagageiro. Caso o seu alforje não seja impermeável, use sacos plásticos ou uma capa de chuva.

Bolsa de guidão

É um dos equipamentos-chave do cicloturista. Serve para carregar uma máquina fotográfica, por exemplo, e como é destacável, pode-se levar documentos e dinheiro nela.

Caramanholas

Você certamente vai precisa se hidratar. Suportes e caramanholas extras são sempre bem-vindos. Na escolha do quadro, estude as possibilidades de instalação de suportes.

Visor de mapa

É um equipamento raro no Brasil. Serve para proteger o mapa de orientação, mantendo-o sempre à vista.

Ferramentas sobressalentes

Antes de colocar a bike na estrada, esteja certo de que sabe trocar um pneu, por exemplo. Caso ainda não saiba, procure fazer um cursinho básico de montagem e manutenção de bicicletas. Conheça algumas ferramentas indispensáveis:

– Alicate
– Chave de fenda
– Chave “alen” (conforme o padrão da bicicleta)
– Chaves de boca (conforme o padrão da bicicleta)
– Sacador de corrente
– Espátula de pneu
– Bomba de ar
– Remendo e cola a frio para câmara-de-ar
– Chave de raio (desde que saiba utilizar)

Os comentários estão desativados.

Recomendadas para você