Ciência comprova: passar frio ajuda a emagrecer

Mas se movimentar nessa época é ainda mais eficaz em vários sentidos. Veja por que e como manter o pique no inverno para ter saúde durante o ano inteiro

Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

Foto: Pixabay

Muita gente sofre com o frio, que é favorável para gripes, resfriados e alergias respiratórias. Mas a ciência tem uma conclusão interessante para você gostar do inverno: passar frio ajuda a emagrecer. É o que dizem pesquisadores da Universidade de Sidney, na Austrália. De acordo com o estudo, o simples tremer de frio causa mudanças em nosso organismo, pois estimula a conversão de gordura branca (que armazena apenas as calorias) em gordura marrom, que colabora com o aumento do gasto calórico.

O endocrinologista Paul Lee, do Instituto Garvan de Pesquisa Médica, também fez uma pesquisa recente no Instituto Nacional de Saúde, em Washington (EUA) que endossa a conclusão dos cientistas australianos. Ele descobriu que a comunicação entre músculos e células de gordura acontece por meio de hormônios, e que justamente essa comunicação é que promove a transformação da gordura branca em  marrom, pois esta última protege mais os músculos do frio.

Veja também: 10 reações do corpo humano em diferentes situações

Ricardo Zanuto, professor e doutor em Fisiologia do Exercício pela Universidade de São Paulo (USP), esclarece que é preciso ter bom senso e aproveitar a época para se exercitar. “Ninguém deve passar frio com o objetivo de emagrecer. Mas a comparação que fazemos é, se de acordo com os pesquisadores ‘tremer de frio’ ajuda no emagrecimento, treinar em temperaturas baixas tende a ajudar nesse processo”, diz.

Se você corre e deseja melhorar o desempenho, pois as baixas temperaturas são mais agradáveis para adaptar o corpo. “Qualquer tipo de exercício nos dias mais frios vai nos ajudar a gastar mais calorias. Muitos atletas preferem consideram o inverno a melhor época para a prática de corridas mais intensas”, reitera Zanuto.

Caso você sofra muito com esta época do ano, uma dica é correr antes das 9h ou após às 17h, quando a umidade do ar é maior. Zanuto recomenda outros cuidados essenciais:

 

Aquecimento mais intenso

Capriche no aquecimento e o faça de forma progressiva, para se adaptar ao frio e estar pronto para o treino. Além disso, mantenha-se bem hidratado, já que a desidratação diminui o rendimento durante o treino.

 

Foto: Pixabay

Foto: Pixabay

Horários alternativos

Muita gente tem dificuldades para acordar cedo no inverno. O ideal é tentar treinar na hora do almoço, em que a temperatura está mais amena, ou então à noite, mas sem passar em casa antes, para não perder a disposição. Outra dica para quem só pode treinar pela manhã é colocar o despertador para tocar com a sua música preferida para correr, assim o cérebro faz a associação da música com o treino. E nada de função soneca: levante-se assim que o despertador tocar!

 

Roupas certas

Use roupas que aqueçam o corpo, mas que não atrapalhem na transpiração. Não esqueça também de proteger as extremidades como mãos e cabeça, que ficam expostas.

 

Orientação médica e treino indoor

Ao apresentar algum tipo problema respiratório, procure primeiro a orientação de um médico para receber as recomendações adequadas. Bronquite, asma e outros problemas respiratórios podem se agravar durante o inverno, Se você sempre sofre com eles, evite correr ou fazer outra atividade ao ar livre: o melhor é optar por treinos em ambientes fechados, como na academia.

 

 

 

Recomendadas para você