3 terapias alternativas para baixar os níveis de ansiedade

Além da psicoterapia, temos 3 opções para o controlar os sintomas e aumentar a qualidade de vida das pessoas com ansiedade e depressão

Ansiedade pode ser reduzida com essas 3 terapias alternativas
Foto: Shutterstock

A ansiedade é um transtorno psicológico bastante comum na sociedade atual, principalmente no Brasil. Considerado o país mais ansioso do mundo pela Organização Mundial de Saúde (OMS), são cerca de 19 milhões de brasileiros com o transtorno.

A ansiedade é um sintoma de diversos transtornos, chamados de Transtornos de Ansiedade. Esses transtornos deixam a pessoa em estado de alerta o tempo todo, além de tensionar os músculos, causando dores. A principal forma de tratamento são as sessões de psicoterapia, às vezes combinadas com remédios prescritos por um psiquiatra. O professor psicólogo do CEUB, Sérgio Henrique, aponta que a psicoterapia ajuda a melhorar o seu comportamento. “O psicólogo vai tentar identificar o que favorece os gatilhos que acionam a ansiedade do paciente”, descreve.

Mas existem outras formas de aliviar a ansiedade e obter um resultado melhor no tratamento, como yoga, massagem e uma nova modalidade de exercício físico chamada LPF. Essas práticas são benéficas já que tentam controlar o Sistema Nervoso Autônomo, segundo o professor Sérgio Henrique. “Quando fazemos essas atividades, tentamos diminuir os batimentos cardíacos, a respiração e o metabolismo do corpo, acalmando a mente”, explica.

1- Yoga, a prática milenar

Originária da Índia, o yoga é uma prática que surgiu há mais de 5000 anos atrás. Com as mudanças no mundo, hoje a atividade tem como foco tirar o indivíduo da rotina agitada, segundo a instrutora de yoga Alane Menezes. “A rotina das pessoas deixa elas bem ansiosas, e não é à toa que muitos alunos chegam com indícios de ansiedade e depressão por causa disso”, comenta.

Alane conta que o número de pessoas que buscaram ioga aumentou significativamente, e acredita que foi exatamente por causa da ansiedade que muitos sentiram. “As pessoas entendem que a mente pode ser um inimigo e a saúde mental é um dos assuntos mais abordados atualmente”, fala.

A instrutora recomenda que os alunos pratiquem diariamente a ioga por pelo menos 20 minutos, combinando diferentes estilos de respirações, que ajudam a focar e acalmar o corpo. “Posturas que te exijam permanência são mais indicadas para trabalhar a respiração, pois a concentração se torna foco de toda a ação”, explica.

O yoga pode ser utilizado até em crises de ansiedade, dependendo da pessoa e da crise. Alane explica que, nesse tipo de situação, a concentração e o foco na respiração vão acalmando. “Pode-se deitar de barriga pra cima ou sentar levando o foco ao perceber o ar entrando e saindo”, orienta. Ela complementa que deitar-se em posição fetal pode ajudar também. “Nossa mente trabalha da forma que permitimos. Se você permite se acalmar, ela fará isso, mas é necessário treino e paciência”, complementa.

Além de ajudar na saúde mental, o yoga também pode ser procurado para melhorar a postura e aliviar dores musculares causadas pelas longas horas sentadas diante do computador.

2- Massagem, um alívio físico e mental

Quando sentimos dores no pescoço ou nas costas, temos a ansiedade de uma massagem longa e profunda. Nos meses de pico da pandemia em 2020, houve um aumento significativo na procura por tratamentos relaxantes em clínicas de estética. Segundo o aplicativo GetNinjas, utilizado para a contratação de serviços da América Latina, a busca por acupuntura, e as massagens estética, anti-estresse, oriental e modeladora registrou o crescimento de mais de 36% no mês de abril.

Massagem relaxante, drenagem linfática, massagem com pedras quentes, massagem terapêutica, aumentaram significativamente durante a pandemia aqui na clínica”, revela Raquel Santiago, proprietária da Clínica Corporeum, em Brasília.

Mas por que a massagem é tão relaxante não só para o corpo, como para a mente também? Segundo pesquisadores, o toque promove a sensação de acolhimento, conforto e carinho, importantes para que relaxemos. Além disso, a terapia reduz os níveis de cortisol, o hormônio do estresse, e aumenta os níveis de dopamina e serotonina, neurotransmissores do prazer e felicidade. Tudo isso ajuda a baixar a ansiedade.

A diretora do Instituto de Pesquisa sobre o Toque da Universidade de Miami, Tiffany Field, explica que a massagem aumenta o fluxo sanguíneo em áreas do cérebro que regulam o humor e o estresse. “Ao serem estimulados, os receptores aumentam a atividade do nervo vago, que tem um efeito calmante”, complementa.

3- LPF, uma nova atividade física

Criada na Espanha, a Low Pressure Fitness, ou LPF, é uma atividade física com objetivo de reduzir as medidas da faixa abdominal. O instrutor deste exercício na academia Bodytech Lago Sul de Brasília, Luiz Vasques explica que, por meio da normalização das tensões neuro miofasciais, o corpo regula as pressões das cavidades torácica, abdominal e pélvica.

Mas como isso ajuda a reduzir a ansiedade? Vasques explica que o LPF proporciona inúmeros benefícios. “Já que foi desenvolvido com base no conhecimento do comportamento da Fáscia e do Sistema Fascial, o LPF traz melhoras posturais e redução de dores na coluna, melhor funcionamento do intestino e redução de refluxo esofágico, sinais físicos da ansiedade”, cita o instrutor.

As aulas duram cerca de 30 minutos e além do foco no físico, existe uma preocupação com a respiração para que trabalhe o sistema autônomo, regularizando toda a parte cardio respiratória.

Os comentários estão desativados.

Recomendadas para você