O que as mulheres devem comer aos 20, 30 e 40 anos

Saiba em que tipo de alimento você deve focar à medida que envelhece

Crédito: Pixabay
comer

Crédito: Pixabay

O seu corpo muda com o passar da idade, claro. Saiba no que você deve investir e comer a cada década de vida.

Aos 20 – Você está no pico da saúde física e, por causa disso, provavelmente costuma exagerar nas bebidas, pular refeições e comer fast-food. Cuidado! Invista em queijos (magros, por favor! Cottage, minas, ricota são excelentes opções). O intenso crescimento ósseo, que começa na adolescência e continua até os 25-30 anos, faz com que essa seja uma excelente fase para você se render ao cálcio antes do inevitável processo de perda de massa óssea, que começa após os 30 anos. Garanta ao seu corpo 700 mg de cálcio por dia, o equivalente a pouco mais de 400 ml de leite ou 100 g de queijo. Mas tenha atenção. Não se empanturre de refrigerante, pois o ácido fosfórico presente na bebida impede que o nutriente seja absorvido.

 

Aos 30 – Coma damasco seco ou outros alimentos de baixo índice glicêmico. Se você trabalha bastante e anda cansado, não apele para o cafezinho ou para os refrigerantes à base de cola. Encha o prato com carboidratos de baixo índice glicêmico e um pouco de proteína. Eles vão garantir a liberação gradual de glicose no sangue.

 

Aos 40 – A sua taxa metabólica é 10% menor do que quando você tinha 30 anos, o que significa que você deve ter mais atenção ao que come, pois são grandes as chances de você vir a ganhar uns quilinhos extras. Procure comer 200 cal a menos por dia ou investir mais em exercícios. Outra dica importante: privilegie proteínas, especialmente se você é mulher. Mulheres com ciclo menstrual errático e intenso têm mais chances de ficar anêmicas. Vá de carnes magras, ovos e feijão de 3 a 4 vezes por semana e procure incluir alimentos ricos em vitamina C nas refeições, pois ela melhora a absorção do ferro contido nos vegetais. Invista também na soja. Alimentos ricos em compostos semelhantes ao estrógeno (o hormônio feminino), como a lentilha e a soja, ajudam a equilibrar os níveis desse hormônio. Uma pesquisa mostrou que quem ingeria diariamente altas doses de isoflavonas, as substâncias presentes na soja, também chamadas de fitoestrógeno, sentia 14% menos ondas de calor, um das coisas que mais afetam mulheres na menopausa.

Os comentários estão desativados.

Recomendadas para você