Adoçantes artificiais: conheça os tipos e o indicado para cada tipo de dieta

Você não corre o risco de ter câncer, tampouco vai emagrecer ou manter o peso com eles. Saiba o que esperar desses produtos

adoçantes artificiais
Foto: Getty Images

Você já dever ouvido falar pelo menos uma vez na vida que adoçantes artificiais provocam câncer ou que ajudam a emagrecer. Ambas as afirmações estão equivocadas após estudos feitos que comprovaram o contrário, de acordo com Henrique Suplicy, endocrinologista.

Um estudo recente feito pela Universidade Purdue (EUA) mostrou que os adoçantes artificiais acabam gerando mais vontade de comer doces. Isso acontece porque não fornecem calorias ao organismo, o que o faz querer obtê-las ainda mais. Ou seja, esse composto serve apenas para o controle de peso por conterem menor número de calorias.

Segundo a nutricionista Cynthia  Antonaccio, nutricionista o uso de adoçantes artificiais tem determinados propósitos. “Eles são indicados em caso de dietas com restrição de sacarose, frutose ou glicose”, explica e aponta também sua utilização para quem deseja perder peso ou sofre de diabetes.

Outro ponto a ser destacado sobre alimentos adoçados com a substância é que não significa que será isento de calorias. Eles podem, por exemplo, ter uma grande quantidade de gordura, o que o tornará bastante calórico.

Atualmente existem inúmeros tipos de adoçantes artificiais no mercado que atendem a diversos tipos de dietas. Saiba quais são e suas características a seguir!

Confira os tipos de adoçantes artificiais:

Já sabe quais adoçantes artificiais são mais indicados para sua dieta? Então não deixe de compartilhar com os amigos essa dica.

Por Carlos Amoedo/ Edição: Nataly Paschoal 

Os comentários estão desativados.

Recomendadas para você