Exercícios físicos e câncer de mama: as atividades ajudam ou prejudicam a mulher?

Especialista afirma que o sedentarismo oferece mais riscos à saúde do que a prática de atividades

exercícios físicos e câncer de mama
(Foto: Reprodução/Freepik)

A relação entre exercícios físicos e câncer de mama gera algumas dúvidas. Por exemplo, mulheres que já tiveram a doença podem praticar as atividades? Essa questão surge para pessoas que passaram pelo tratamento, recuperaram-se e desenvolveram linfedema, quadro de inchaço crônico.

Assim, para investigar tal aspecto, uma pesquisa publicada na revista acadêmica Journal of Cancer Survivorship, relacionada a estudos sobre câncer, revelou que os pontos positivos proporcionados pelas atividades físicas nesses casos são maiores do que os riscos aos quais as pacientes são expostas. A avaliação foi liderada por pesquisadores da University of Missouri, nos Estados Unidos.

O oncologista do HCor Onco, Auro Del Giglio, reforça essa premissa sobre os exercícios físicos e câncer de mama. Para ele, o sedentarismo oferece mais riscos à saúde do que a prática de atividades, mesmo em pessoas que se recuperaram da doença. Ainda acrescenta que treinar regularmente pode até diminuir a chance de recorrência do câncer. “A prática de atividade física, pelo menos três vezes por semana, é uma excelente ferramenta para restaurar e melhorar o bem-estar durante o tratamento do câncer de mama. Os exercícios aumentam a força muscular e a capacidade funcional, além de auxiliar o controle do peso, reduzir os sintomas de fadiga, melhorar a autoestima e a qualidade de vida do paciente”, explica Giglio.

Saiba mais sobre exercícios físicos e câncer de mama:

Gostou do conteúdo? Tenha acesso a mais matérias em nossa revista digital Sport Life, disponível nas bancas digitais – Go ReadNuvem do JornaleiroRevistariasBancah!Clube de Revistas. E não deixe de conhecer o Viva Leve, um programa de emagrecimento saudável que seu corpo e bolso agradecem.

Os comentários estão desativados.

Recomendadas para você